Bio

porto-em-sao-telmo

La Boca, Buenos Aires, 2014

cabecalho-port

Vidigal, Rio de Janeiro, 2012

Bispo do Rosário

30ª Bienal de Arte de São Paulo – 2012 A loucura sempre me impressionou muito mais do que a sanidade ou lucidez, digamos. Como Kerouac, sempre me interessei por aqueles que queimam e queimam e nunca se dão por satisfeitos. Tive uma quedinha pelo insano, quase abracei como causa antes mesmo de ler Pé na… Continue lendo Bispo do Rosário

O Rio que me sangra

Rio de Janeiro, junho/julho, 2015 | Proposta Fotográfica Como é possível olhar para a cidade sem que a vista sangre? As ruas sujas de confusão e raiva, a sarjeta lotada de dejetos, os muros inscritos de publicidade alheia. Nosso processo civilizatório parece ter chegado a um ponto culminante de desentendimento e desequilíbrio. Talvez o que nos… Continue lendo O Rio que me sangra

Rua do Senado

Flanar não é um acaso, mas sim, condição. Depois de passar por alguns endereços no Rio, resolvi me fixar em Santa Teresa. Moro em uma posição privilegiada em relação ao meu cotidiano, pois vou a pé para o trabalho. Atravesso a Lapa em uma transversal, a Rua do Senado. Nela, tento observar dia-a-dia e suas nuances –… Continue lendo Rua do Senado

Parangolé Cyberpunk

Fundição Progresso (Teatro de Anônimos), Rio de Janeiro – Novembro de 2015 Direção: Rafael Kalil

Metais Marinhos

Rio de Janeiro – Perimetral, setembro de 2013 Uma memória do impossível Quando era menino, meu pai me levava ao Rio em suas viagens a trabalho. Uma delas foi muito significante. Fomos meu irmão, eu e meus pais. Geralmente, íamos só eu e ele. Nesse dia, cruzamos a Ponte Rio-Niterói e os guindastes me chamaram… Continue lendo Metais Marinhos

Seres Marinhos

Mucuri e Nova Viçosa – Bahia | dezembro-janeiro de 16/17 Nossa matriz vem do mar. Nosso desejo é o horizonte e a sua imensidão. Entretanto, somos pequenos viventes a lhe velar, atônitos e necessitados. Voltamos ali a um lugar de conforto e espontaneidade. Esquecemos, lembramos, retomamos e tudo, sob os auspícios de nossa deusa marinha.… Continue lendo Seres Marinhos

A xepa e a fome

O texto abaixo é fruto de uma deriva fotográfica realizada pela Troyka Koletiva em janeiro de 2018, em Juiz de Fora. Depois de dez dias com as fotos, resolvi trocar uma ideia sobre a questão da fome e das possíveis soluções viáveis no microcosmos para diminuir seu impacto. Passando por cima de tudo e de todos… Continue lendo A xepa e a fome

Percurso

Minhas primeiras memórias com câmeras e dispositivos de gravação remetem a fotografias de minha infância e a um vídeo-cassete Sharp que meus pais ganharam de casamento em 1981. Tinham jogos da Copa de 82, desenhos do Popeye e discursos do velho. Ainda bem pequeno, estraguei o aparelho enfiando lápis dentro de onde coloca a fita.… Continue lendo Percurso

Bio

Tenho um problema com fotos. Nunca gosto de estar nelas. Ou quase nunca. A pose e a sua vaidade sempre me fizeram pensar na artificialidade da coisa. Por isso, tenho muita dificuldade com selfies. Evito fazê-los e já devo ter feito umas duas ou três mais selfies do que o número de publicações dessas. Mas… Continue lendo Bio