Metais Marinhos

Rock In Rio-12

Rio de Janeiro – Perimetral, setembro de 2013

Uma memória do impossível

Quando era menino, meu pai me levava ao Rio em suas viagens a trabalho. Uma delas foi muito significante. Fomos meu irmão, eu e meus pais. Geralmente, íamos só eu e ele. Nesse dia, cruzamos a Ponte Rio-Niterói e os guindastes me chamaram muita atenção, tornando uma espécie de “punctum”, aquilo que era impossível no meu cotidiano – afinal, morava em Juiz de Fora e o mar não chega em Minas.

Quase 20 anos depois desse dia, me mudei para a cidade e em uma ocasião em que acompanhava os músicos da Orquestra Sinfônica Brasileira, tirei essas fotos do ônibus que passava sobre a Avenida Perimetral. Cerca de dois meses depois, ela foi implodida em um projeto de  “revitalização”, mas que se revela no encarecimento do espaço físico e gentrificação da área.

Hoje, acessar a esse momento familiar se tornou impossível, como ao ângulo do qual parti para rever essas figuras do passado e que confabularam em meu imaginário por duas décadas. Nem os metais são mais venerados, nem o mar é algo distante.

Monstro MArinho

Rock In Rio-9Rock In Rio-10Rock In Rio-11Rock In Rio-8Rock In Rio-7Rock In Rio-6

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s